Sobre

fruet-(3)

Foto: Renata Masseti

 

Sinal destes tempos, Marcelo Fruet é um artista difícil de ser catalogado. Gosto de vê-lo como um roqueiro que faz música brasileira (ou, o que, um dia, se convencionou chamar de MPB). A densidade e a melancolia de sua música, porém, também me remete ao pop argentino contemporâneo, com um ar de Kevin Johansen – e, de volta ao Brasil, mas não muito, exala muito da poesia rigorosa de Vitor Ramil, perpassa o Caetano nos tempos em que andava inspirado, e deságua na MPB pré-trilha-sonora-de-bar, que tem Lenine como o último baluarte.” * Marcelo Ferla , release “AIÓN”, 2012.

Nascido em Porto Alegre, Rio grande do Sul, Marcelo Fruet é produtor musical, compositor popular, canta, toca violão e faz gravações em seu modesto atelier. Acostumado a produzir discos de outros artistas e criar trilhas sonoras para a TV e o cinema, o gaúcho demonstra habilidades que vão além da criação e interpretação musical: produz, grava e mixa pessoalmente seus discos.

O cardápio musical de Marcelo Fruet & Os Cozinheiros serve porções generosas de MPB – sabor tropicalista – acompanhadas por um molho roqueiro especial e se aproveita da doçura picante do jazz para a sobremesa. Quem vai ao show pode esperar uma diversidade poética e musical, refinada na medida certa para emocionar até mesmo os que desconhecem completamente sua obra. A aproximação de estilos sulistas (como o tango e a milonga) e estilos tropicais (como o samba e a bossa-nova), que brinca frequentemente com o rock, revela um artista contemporâneo que converge experiências musicais sutis em resultados estéticos interessantes.

A banda, também formada por Nicola Spolidoro (guitarra), Leonardo “Brawl” (baixo), André Lucciano (bateria) e Lúcio Chachamovich (violões), tem dois discos gravados e já tocou em diversos festivais no Brasil e no exterior. Fruet – que já teve música tocada no Big Brother Brasil 7, recebeu quatro Prêmios Açorianos de Música e um troféu de Melhor Música Original no Festival de Gramado – foi o único artista do estado do RS selecionado para participar do Festival Musica Pra Todo Mundo, promovido pela Oi Música. Também foi um dos únicos artistas da nova geração que integrou o show de 3O anos do movimento da MPG, ao lado de renomados compositores gaúchos, como Bebeto Alves e Nelson Coelho de Castro.

“AION”, o 2º disco, foi produzido de maneira independente no estúdio de Fruet, com apoio do Fumproarte, fundo municipal de apoio a produção artística de Porto Alegre. O disco teve ótima repercussão no cenário musical nacional, sendo citado em diversos veículos do RS e do país, com elogios de jornalistas como Marcelo Ferla, Juarez Fonseca (Zero Hora) e Sílvio Essinger (O Globo), além de ter entrado para listas de Melhores Discos do Ano 2012 do jornal Zero Hora e do site Embrulhador.com. e (ufa!) na lista dos discos pré-indicados ao Grammy latino de 2013.

“AION” também catapultou uma bem-sucedida carreira internacional da banda. Tocaram no Japão, no Kansai Music Conference (2012), e nos Estados Unidos, no CMJ Music Marathon, festival de college music conhecido por revelar novos talentos e tendências antes de chegarem ao mainstream, e no South By Southwest, festival de música e inovação que ocorre anualmente em Austin, no Texas, e que reúne muitos artistas, criadores e atores da indústria fonográfica mundial. É para lá que, em março de 2015, a banda volta a tocar pela 4º vez, desta feita como o único artista brasileiro a integrar no 1º round a seleção do festival.
Mais infos sobre a banda, os discos lançados e os shows realizados (e a realizar) no site oficial, cozinhandomusica.com.

Projeto “Produção Musical & Gerenciamento de Carreira Independente”

Financiamento

 PRO CULTURARS_BrasaoCultura1